Shibari

O que é o Shibari

Hoje vou-vos falar de uma Técnica de Bondage vinda do Oriente, directamente oriunda do Japão, o Shibari, significa atar.

Não sei a vossa opinião, mas pessoalmente adoro a cultura japonesa, os Samurais e toda a sua elegância e “dança” com a espada. O Shibari não é diferente, este consiste na beleza de atar o outro, de forma sensual, os padrões criados durante o processo são geométricos e são feitos de forma a que as curvas da pessoas que está a ser atada, submisso/ mulher ou homem, esta técnica milenar presa por estar feita de forma a identificar e permitir que as curvas do corpo humano fiquem delineadas.

No Shibari, o submisso é a tela do dominador, a ideia desta técnica é provocar o desconforto na pessoa amarrada e ao mesmo tempo, apanhar pontos em que a pressão possa mesmo dar um orgasmo.

As cordas utilizadas no Shibari, têm por norma, 7 metros de comprimento, e são feitas com fibras naturais de arroz e palha, linho e juta, estas são as “cordas originais”, depois terá as normais que, normalmente, são de algodão, nylon e polipropileno.

Breve Explicação da Origem do Shibari

Antes de se chamar Shibari, a arte milenar japonesa, tinha o nome de Hojojutsu e posteriormente, Kinbaku, e eram formas de imobilizar o inimigo, no antigo Japão Feudal, podem não acreditar mas este era um dos métodos utilizados, para torturar e massacrar os prisioneiros de guerra.

Devo ainda referir que, as amarrações variavam de acordo com a hierarquia social de cada prisioneiro. A honra e o respeito, são muito importantes para a cultura Japonesa, por isso, até mesmo os seus prisioneiros eram respeitados e a sua classe social

Hojojutsu, tal como já foi referido acima, consiste na arte de amarrar, mas não são utilizados nós, esta técnica permitia que o prisioneiro pode-se alimentar-se e até mesmo andar, mas restringia a fuga e mobilidade até certo ponto!

Utilizando a mesma técnica, mas de outra forma, a amarração causava dor, falta de ar,  e podia até mesmo matar, caso o prisioneiro, tentasse libertar-se!

O segundo nome acima referido, Kinbaku, foi o segundo nome dado à arte milenar, de forma a que esta fosse conhecida como uma técnica de amarração mas com teor sexual, visto que o Hojojutsu é uma arte marcial!

Nos anos 50, o ilustrador japonês Ito Seiu, publicou vários desenhos, e referi-os como Kinbaku, recebeu então a alcunha de “pai do Kinbaku”, e durante vários anos, a técnica de imobilização sexual ficou assim conhecida, só nos anos 90 é que ficou então com o nome de Shibari.

O Shibari consiste na arte de amarrar os submissos, mas ao contrário do Bondage, cujo único objectivo é a humilhação, dor e tortura, a arte de amarrar torna-se numa “pintura” em que o corpo é uma forma de espalhar as cordas de forma geométrica, bonita e sensual.

Além do mais, ao pressionarem certos pontos do corpo, devem sempre de atingir zonas erógenas específicas, dando assim prazer ao submisso, o prazer e a tesão aumentam, e garanto-vos que o orgasmo é o objectivo final!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.