História do BDSM

História do BDSM

Apesar de apenas recentemente se falar cada vez mais de BDSM e de toda a cultura envolvente, a história do BDSM vem desde há imenso tempo, mesmo que até as pessoas que o praticam achem imensa piada, são poucos aqueles que sabem onde surgiu, como evoluiu e por tudo o que passou até atingir a fama e popularidade que tem neste momento.

O nosso principal objectivo com este texto era elucidar todos sobre o percurso que as práticas BDSM tiveram nos últimos anos, com principal foco no início das mesmas, mas é praticamente impossível descrever ao pormenor de quando tudo começou, principalmente pela enorme quantidade de práticas agregadas a este acrónimo, cada uma delas com as suas origens e a sua história, levando assim a uma jornada pela antiguidade que podia nunca mais terminar.

Assim, o melhor mesmo é contar um pouco do seu percurso, desde o momento em que começou a ser falado mais abertamente, pois também é necessário referir que durante muitos apesar de existir e de haverem até algumas comunidades importantes espalhadas por todo o mundo, era também um mundo de secretismo e pouco falado, devido à enorme discriminação que a sociedade tendia a criar em volta do assunto.

História do BDSM – A origem e o progresso

Os primeiros relatos surgem em 1918, com a publicação da revista “London Life” a exibir os primeiros anúncios de festas e encontros privados, algo que até ao momento nunca tinha acontecido publicamente. Esta foi a primeira revista a falar abertamente do assunto, sendo que era bastante comum muitas matérias abordadas sobre o fetichismo sexual e as áreas envolventes, deixando por isso muita gente estupefacta com a situação.

Por outro lado, depois desse primeiro número da revista, começaram a surgir inúmeros clubes e festas, com intenção específica. Passados alguns anos, nomeadamente em 1946, surge a revista “Bizarre” também centrada na temática, sendo que no seu interior era possível encontrar todo o tipo de informações, porém inicialmente começou a ser distribuídas apenas nessas festas e clubes privados.

Depois da década de 50, os grupos nos Estados Unidos e na Europa tornaram-se extremamente populares, existindo até alguns que ficaram para a história e ainda hoje são reconhecidos, nomeadamente o Shaw’s, Berlin, Sixty-Nine Club, VSSM, Boys Cuir France e o MSC. Em 1969 aconteceu a primeira festa pública, com a presença de cerca de 100 pessoas com os mesmos interesses, na Alemanha.

Durante muito tempo, nomeadamente até 1978 sempre que o BDSM era referido, havia uma tendência natural de associar à cultura homossexual, mas nesse ano foi criado um grupo de mulheres lésbicas, abrindo assim o mundo do BDSM às mulheres e tornando-se um dos grandes marcos na história do BDSM.

Apesar de todo este progresso, foi apenas nos anos 90 que a história do BDSM ganhou novos contornos e o desenvolvimento foi intensificado, nomeadamente com o surgimento de casas, associações, filmes, literatura, entre outras coisas. O grande destaque foi em 1991, com o aparecimento de um enorme portal online, sendo que a partir desse momento a sigla BDSM começou a ser bem mais comum do que era até ao momento.

No que diz respeito ao nosso país, durante muito tempo a sociedade apontou o dedo e discriminou todos os que participavam nesta cultura, porém conta a história do BDSM em Portugal que a criação de uma grande comunidade de bondage em Portugal foi o suficiente para mudar muitas mentalidades e deixar de existir a necessidade de se esconder de tudo.

One thought on “História do BDSM”

  1. olá a toda a comunidade bdsm
    há muito tempo que procuro uma dominadora jovem atraente e determinada. sem qq complexo em mostrar dotes de hard dominaçao. não tenho qq restriçao em dominaçao e goste de tudo que implique supremacia e spank. uma boa sessao fazia-me falta!! louras sao mais brutais no campo de dominaçao. quem souber de uma responda-me que estou disposto a ser submisso. obg miguel

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.